Tratamento da hiperidrose: o suor excessivo

Postado em: 15.02.2016

Autor: Dr. Glauber Ferreira, médico neurologista na Clínica da Memória.

Hiperidrose é a produção excessiva de suor, além do necessário para o controle da temperatura do corpo. A hiperidrose pode ser motivo de muito constrangimento e desconforto, o que pode levar a um importante prejuízo na qualidade de vida de quem sofre desse problema.

A hiperidrose pode ser generalizado ou localizada. Quando é localizada atinge especialmente a região das axilas, das mãos e das solas dos pés. Pessoas com esse tipo de problema muitas vezes tem de trocar de camisa durante o dia e tem de usar camisetas sem manga para disfarçar as manchas de suor. Quando a hiperidrose atinge as mão, pode deixar a palma da mão molhada provocar um aperto de mãos “molhado”, o que é muito desagradável. Suor excessivo na sola dos pés provoca desconforto e mau cheiro nos sapatos.

A hiperidrose generalizada é bem mais incomum e provoca suor no corpo todo, mas geralmente ocorre no contexto de atividade física ou de calor. Algumas pessoas com diabetes tem um fenômeno chamado de hiperidrose compensatória, quando o suor nas mão e pés diminui, mas em compensação aumenta o suor no rosto e no tronco.

hiperidrose das palmas das mãos pode ser muito constrangedor.

Hiperidrose das palmas das mãos pode ser muito constrangedor.

Suor excessivo pode ser provocado por um grande número de condições médicas, mas geralmente a causa do problema, especialmente na sua forma localizada, é desconhecida. Sabe-se que existe alguma relação entre a produção de suor e o sistema nervoso simpático, mas não se sabe o motivo que leva o corpo a estimular as glândulas a produzir mais suor.

Existem opções para o tratamento da hiperidrose localizada. Comprimidos podem ser tentados nesses casos, mas quase sempre tem resultados decepcionantes. Duas modalidades terapêuticas são empregadas com sucesso nesses casos: a cirurgia e a injeção de toxina botulínica. A cirurgia é chamada de simpatectomia, e consiste num procedimento onde parte dos nervos que controlam a sudorese no segmento corporal afetado são seccionados. Esse procedimento é geralmente realizado por um cirurgião torácico. Um outra opção é a injeção de toxina botulínica (Botox®, Dysport®, Xeomin®). Nesse procedimento são injetados pequenas quantidades de toxina em diversos pontos da região afetada. É bem menos invasivo que uma cirurgia, porém o resultado é temporário, durante cerca de 6 meses. Esse procedimento é geralmente realizado por um neurologista ou dermatologista com treinamento nessa técnica.