Quantas horas de sono precisamos?

Postado em: 23.11.2016

Autor: Dr. Glauber Ferreira, médico neurologista na Clínica da Memória

Dormir bem está relacionado à diversos aspectos da nossa saúde, mas muita gente tem ideias e concepções erradas sobre a necessidade de sono do nosso corpo. Nesse texto discutimos alguns questões relacionados a medicina do sono.

O que acontece com nosso corpo enquanto dormimos?

O sono é um estado em que nosso corpo está surpreendentemente ativo. Nesse estado nosso organismo pode regenerar tecidos, crescer, restabelecer equilíbrio no metabolismo e consolidar novas memórias. Boas noites de sono são fundamentais para uma boa saúde e bem estar.

 

 

 

O mais indicado é que cada pessoa durma, no mínimo, oito horas? Ou há variações?

Vivemos em uma sociedade em privação crônica de sono. Pode-se dizer que somente uma minoria dorme o mínimo do número de horas recomendado por especialistas. Esse número varia para cada indivíduo e ao longo da vida. Algumas pessoas dormem por poucas horas e sentem-se restaurados e sem sonolência diurna. Esses são os chamados dormidores curtos. Para outros, uma quantidade maior de sono é necessária para o bem estar e uma boa disposição. São os dormidores longos. A quantidade de horas varia também ao longo da vida. Para bebês, o ideal é dormir de 14 à 17 horas por dia, justamente porque ele está em crescimento e adquirindo novos conhecimentos a toda hora. Para crianças de 3 à 5 anos, recomenda-se que durmam 10 à 13 horas. Para adolescentes, um grupo particularmente adepto à maus hábitos de sono, a recomendação é de 8 à 10 horas. Para adultos até 64 anos, ideal são 7 à 9 horas por noite. Idosos precisam de menos sono: 7 à 8 horas por dia.

 

Como uma boa noite de sono reflete de forma positiva na saúde?

 

Noites bem dormidas estão associadas à menor peso corporal, melhor taxas metabólicas, melhor desempenho cognitivo, melhor humor e criatividade. Pessoas que dormem bem vivem mais e tem menores níveis de estresse. Também têm melhor atenção e menor propensão de se envolverem em acidentes.

 

Sono de qualidade é crucial para boa saúde

Sono de qualidade é crucial para boa saúde

E uma noite mal dormida? Como ela pode ser prejudicial?

Basicamente o oposto da questão anterior. Noites mal dormidas aumentam o risco de diabetes, hipertensão arterial, distúrbios metabólicos. Aumentam ainda o risco de depressão e transtorno de ansiedade, de infarto do miocárdio, de acidente vascular cerebral e de demência de Alzheimer.

A pele é beneficiada quando há um bom sono? Além disso, que outras partes do corpo são diretamente afetadas por uma boa noite de sono?

O termo sono de beleza se aplica aqui. Um bom sono favorece menos rugas, menos marcas de expressão, uma aparência mais jovial. Até os cabelos ficam mais bonitos. A pele é só um dos órgãos beneficiados pela boa noite de sono. Todo o organismo obtém vantagens.

Dormir demais pode também ser prejudicial? Quanto tempo pode ser considerado dormir demais?

Sonolência diurna pode ser um sintoma de uma doença ou resultado de noites mal dormidas. Uma causa comum de sonolência diurna e a apneia obstrutiva do sono, que se manifesta geralmente com roncos ruidosos durante a noite. Essas pessoas apresentam uma obstrução das vias aéreas decorrente do relaxamento excessivo dos músculos da garganta durante o sono. Isso faz o fluxo de ar ser interrompido, o que provoca o chamado microdespertar: pessoa acorda por instantes para respirar melhor e volta a dormir sem sequer ter lembrança disso. Esses despertares frequentes fragmentam o sono e impedem a pessoa de entrar em fases mais profundas do sono. O resultado é fadiga, sonolência diurna e todas as consequências de noites maldormidas sobre o corpo.

Algumas pessoas dormem muitas horas além do habitual mesmo sem que exista algo errado na eficiência do sono. Nesse caso dizemos que há uma hipersonia primária. Dormir demais também não é bom para saúde. Aumenta o risco de diabetes, obesidade, dores no corpo e de depressão. Para pessoas com hipersonia primária pode-se prescrever um estimulante para mantê-la acordada durante o dia.

Há alguma hora que seja mais adequada para dormir? Às 22h, por exemplo? Pessoas que têm hábitos noturnos e dormem mais durante o dia, têm alguma diferença na qualidade de vida?

Mais importante do que a hora em que se deita é a quantidade de horas dormidas. O sono tem que ter uma extensão reparadora. Algumas pessoas são madrugadoras e outras são notívagas. O ideal é que ela adapte o seu cotidiano para atender o seu ritmo circadiano pessoal e que tente dormir a quantidade de horas suficiente.

Quais são as recomendações para uma boa noite de sono?

Esse conjunto de bons hábitos são chamados de boa higiene do sono. São eles:

• Mantenha uma rotina de sono, mesmo nos finais de semana;
• Evite atividades estimulantes antes de deitar e, se possível, pratique exercícios de relaxamento antes de deitar.
• Exercite-se regularmente;
• Avalie se o quarto tem temperatura ideal, baixa luminosidade e níveis de ruído;
• Evite café, bebidas estimulantes e cigarro no período da noite;
• Desligue aparelhos eletrônicos à noite: a luminosidade das telas “engana” o cérebro a pensar que ainda é dia;

Para mais informações, entre em contato com o autor através do e-mail contato@clinicadamemoria.med.br ou agende uma consulta com um de nossos neurologistas.