Formigamento nos pés é normal?

Postado em: 20.12.2016

Autor: Dr. Glauber Ferreira, médico neurologista na Clínica da Memória

Formigamento nas extremidades do corpo, como nossos pés e mãos são sintomas comuns. Médicos chamam esse formigamento de parestesia. Em alguns casos, essa sensação de formigamento é dolorosa mesmo ao toque suave, situação no qual o sintoma passa a ter o nome de alodínia. A sensação de dor também é descrita como “queimação” em alguns casos.

É como se os pés estivessem pisando em brasa.
Mas, o que provoca o formigamento nos pés e outras partes do corpo? Parestesias geralmente surgem quando existe algum problema que envolva os nervos periféricos. Esses nervos são os responsáveis por trazer a informação sobre a sensibilidade de todo o corpo até a medula, que encaminha a informação para o cérebro, onde ela será processada e transformada em experiência sensorial.

 

Os nervos são estruturas vivas e muito sensíveis. Distúrbios no metabolismo, falta de alguns sais minerais, diabetes, excesso de ácido no sangue e insuficiência renal, são alguns exemplos de doenças que podem danificar nervos. Quando presentes eles podem provocar má circulação nos vasos sanguíneos que irrigam os nervos, o que provoca dano à estrutura nervosa.

Algumas doenças também podem provocar inflamação na gordura que reveste os nervos, chamada de mielina. Essa inflamação pode provocar, além de formigamentos, fraqueza muscular, porque o cérebro não consegue se comunicar direito com os músculos porque os nervos não transmitem os comandos. A síndrome de Guillain Barre é uma das causas de inflamação que aumentou consideravelmente nesse último ano devido sua associação com o vírus Zika.

Doenças infecciosas, como a hanseníase, provocam perda de sensibilidade nas áreas onde a bactéria invadiu o nervo. Essa é uma das causas de doença dos nervos mais comuns no mundo inteiro.

 

Muitas pessoas com neuropatia descrevem “queimação” nos pés.

 

Quando um formigamento não é provocado por doença do nervo?

Todos nós podemos ter formigamento na perna ou em braços quando cruzamos as pernas ou nos apoiamos sobre o cotovelo durante muito tempo. Isso é normal e provocado pela compressão transitória do nervo, que o impede de exercer a sua função corretamente. Uma vez desfeita a compressão, quando, por exemplo, descruzamos as pernas, a sensibilidade volta logo ao normal, passando antes por um breve período de parestesia. Algumas pessoas, quando sob efeito de álcool ou drogas sedativas, podem dormir em posições desconfortáveis e exercer pressão muito prolongada sobre o nervo sem mudar de posição. Ao despertar percebem que o membro não se mexe direito ou está dormente. Na medicina existe uma condição de nome auto-descritivo: a “paralisia do sábado à noite”. O que acontece nesses casos é que um indivíduo embriagado dorme sobre o próprio braço e acorda com fraqueza no punho. Pode demorar semanas até que o movimento volte ao normal.

Pessoas com estresse ou pânico também podem ter formigamento transitórios nos pé, mãos e até na boca. Esses sintomas geralmente duram alguns minutos e podem vir associados com sensações desagradáveis, como falta de ar, tontura, “peso” sobre o peito e enjoo. É comum haver a percepção de algo muito ruim está prestes a acontecer.

Outras causas de formigamento transitório incluem: alguns medicamentos, enxaqueca, algumas forma de epilepsia. A lista de possibilidades é extensa.

 

 Quando suspeitar de doença?

Pensamos que há algo errado quando o formigamento não cede em pouco tempo. Nesses casos suspeita-se de que exista uma doença dos nervos, que os médicos chamam de neuropatia. O médico neurologista é o profissional mais familiarizado com esse tipo problema. Nesses casos está indicado a realização de diversos exames de sangue e, na maioria dos casos, uma eletroneuromiografia, um exame onde pequenos choques elétricos são administrados em várias partes do corpo para atestar a integridade dos nervos.

É importante destacar que, quando um formigamento envolve somente uma lado do corpo, podemos estar diante de uma problema no cérebro ou na medula espinhar. Doenças como um AVC ou esclerose múltipla podem ser a causa desses sintomas. Nessa situação geralmente se indica uma ressonância nuclear magnética.

Dor e formigamento podem ser aliviados consideravelmente com uso de remédios e muitas neuropatias tem tratamento com bons resultados se identificadas precocemente. Um AVC é uma emergência médica onde se deve procurar a atenção especializada imediatamente. Em caso de dúvidas, consulte um médico neurologista.